Pular para o conteúdo principal

Dia do trabalhador

Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago nos Estados Unidos da América. Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas. Nesse dia teve início uma greve geral nos EUA.

No dia 3 de maio houve um pequeno levantamento que acabou com uma escaramuça com a polícia e com a morte de alguns manifestantes. No dia seguinte, 4 de maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete agentes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haymarket.

Três anos mais tarde, a 20 de junho de 1889, a segunda Internacional Socialista reunida em Paris decidiu por proposta de Raymond Lavigne convocar anualmente uma manifestação com o objectivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o 1º de maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. Em 1° de maio de 1891 uma manifestação no norte de França é dispersada pela polícia resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo drama serve para reforçar o dia como um dia de luta dos trabalhadores e meses depois a Internacional Socialista de Bruxelas proclama esse dia como dia internacional de reivindicação de condições laborais.

Em 23 de abril de 1919 o senado francês ratifica o dia de 8 horas e proclama o dia 1 de maio desse ano dia feriado. Em 1920 a Rússia adota o 1º de maio como feriado nacional, e este exemplo é seguido por muitos outros países.

Apesar de até hoje os estadunidenses se negarem a reconhecer essa data como sendo o Dia do Trabalhador, em 1890 a luta dos trabalhadores estadunidenses conseguiu que o Congresso aprovasse que a jornada de trabalho fosse reduzida de 16 para 8 horas diárias.

Dia do Trabalhador no Brasil
No Brasil, a data é comemorada desde 1895 e virou feriado nacional em setembro de 1925 por um decreto do presidente Artur Bernardes. Até o início da Era Vargas (1930-1945) certos tipos de agremiação dos trabalhadores fabris eram bastante comuns, embora não constituísse um grupo político muito forte, dado a pouca industrialização do país. Esta movimentação operária tinha se caracterizado em um primeiro momento por possuir influências do anarquismo e mais tarde do comunismo, mas com a chegada de Getúlio Vargas ao poder, ela foi gradativamente dissolvida e os trabalhadores urbanos passaram a ser influenciados pelo que ficou conhecido como trabalhismo.

Até então, o Dia do Trabalhador era considerado por aqueles movimentos anteriores (anarquistas e comunistas) como um momento de protesto e crítica às estruturas sócio-econômicas do país. A propaganda trabalhista de Vargas, sutilmente, transforma um dia destinado a celebrar o trabalhador no Dia do Trabalhador. Tal mudança, aparentemente superficial, alterou profundamente as atividades realizadas pelos trabalhadores a cada ano, neste dia. Até então marcado por piquetes e passeatas, o Dia do Trabalhador passou a ser comemorado com festas populares, desfiles e celebrações similares.

Atualmente, esta característica foi assimilada até mesmo pelo movimento sindical: tradicionalmente a Força Sindical (uma organização que congrega sindicatos de diversas áreas, ligada a partidos como o PDT) realiza grandes shows com nomes da música popular e sorteios de casa própria. 

Fonte: Pastoral da Comunicação da Região Episcopal da Lapa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CENTRO DE CONVIVÊNCIA SÃO LUCAS PROMOVE A "SEMANA POR ELAS MESMAS" COM DIREITO A ARTE NO JARDIM!

Seguindo nosso objetivo de transformar vidas através da arte, na quinta feira (18), os educandos do Centro de Convivência São Lucas, realizaram atividades de pinturas, com um toque especial: Ao ar livre. A atividade é a continuidade do mês das crianças, e para estimular a criatividade os educandos de 6 a 8 anos, promoveram da semana, batizada “Por elas mesmas”, divididos em grupos puderam opinarem e fazer o planejamento das ações que seriam realizadas. Um dos grupos mencionou que gostaria de realizar pinturas no jardim, assim o desejo foi atendidos e os pequenos criaram suas artes e transferiram seus sentimentos nos pincéis, folhas e tintas.

















O Instituto Rogacionista e o CRAS-Lapa têm a alegria de convidá-los para a celebração do primeiro aniversário do Núcleo Madre Nazarena - CCA Leopoldina.

Data: 01 de junho de 2011 Horário: 9 horas e 30 min Local: Rua Blumenau, 66 Vila Leopoldina 36419241 / 84030382

www.institutorogacionista.org.br madrenazarena@institutorogacionista.org.br

CECI JARAGUÁ AJUDA NA CONSTRUÇÃO DA OPY ' I (CASA DE REZA) DA ALDEIA INDÍGENA GUYRA PEPO

Na última semana os educadores do CECI Jaraguá participaram de quatro dias de formação, para agregar sabedorias da cultura Guarani MBYA e foram para Aldeia indígena Guyra Pepo para a construção da Opy ' i (casa de Reza) para o Líder Espiritual Xamoí Karai Poty. A participação do CECI Jaraguá foi algo muito importante, pois agregou mais conhecimentos da sua cultura. Muito importante para os indígenas Guarani MBYA a Casa de Reza é um ambiente sagrado, a sua construção tem que ser realizada no centro da aldeia e de frente para o por do sol.